La Peau douce

De 1960, roteiro do Truffaut, lamentavelmente (mais uma vez) traduzido no BR como « Um Só Pecado ». Trata de amor e preconceito na época. Um homem casado se apaixona por uma mulher mais jovem e a torna sua amante. Isso desagrega seu lar e a esposa acaba o matando com um fuzil de caça. Soporífero, mas bom documento de época.

Fala-se em « mal-entendido » no filme, como se Pierre Lachenay tivesse interpretado mal o puro desejo de agradecer por parte de….., a aeromoça. Mas o fato é que a conversação dele a fascina e ela passa uma caixa de fósforos com seu telefone para ele, no avião. Não haveria aí alguma intenção oculta?

Continuo usando a minha técnica em duas fases (« tradução literal » e « visionamento ativo »), que tem se mostrado valiosa em termos de economia de tempo. Este filme tem quase 9000 palavras e vai ser feito em 2 dias e meio.

Commentaires:

Laisser un commentaire

«
»